Apesar do nome, sim, Manhattan Beach fica na Califórnia – bem pertinho de mim, por sinal.

E por incrível que pareça, depois de quase 3 meses morando na Golden Coast, essa foi a primeira vez que fui realmente à praia; com direito a sentar na areia, molhar os pés no mar e levar bronca do salva-vidas (por voar o drone em local inapropriado).

Foi a primeira vez também que levei minha própria comida para a praia, já que os quiosques de Ipanema não existem por aqui e eu continuo no Whole30.

E já que estamos falando de primeiras vezes, posso colocar na conta também a blusa de frio que usei enquanto estive em Manhattan Beach (cujos ventos frios convenceram até os mais resistentes a permanecerem secos e agasalhados) e o fato de eu não ter precisado passar protetor solar nenhuma vez, apesar do sol (não que essa tenho sido a decisão mais acertada).

Meu dia de praia em Manhattan Beach, embora ótimo, foi extremamente diferente do que estou acostumada. Sem nenhum ambulante, garotas fazendo selfie, coco ou camarão frito, eu quase poderia encaixar o passeio numa categoria diferente de “ir à praia”.

No lugar do futebol maroto, um grupo de garotos arremessava uma bola de futebol americano. No lugar do mate com biscoito Globo, comíamos uvas e melancia geneticamente modificadas, amoras e pistache. No lugar dos pombos abusados, algumas dezenas de gaivotas desconfiadas.

Em Manhattan Beach, pude novamente levar meus brinquedos da Black Friday para passear. Uau, estou realmente amando a estabilidade da minha duplinha de Osmos (plus e mobile) e ficando cada vez mais decidida a ter uma Sony a7sii (as imagens que ela faz são impressionantemente melhores que qualquer eletrônico que eu já tenha usado).

O drone também voou por alguns minutos e foi o bastante para percebemos um bug terrível que fica fechando o aplicativo da DJI no celular a cada 40 segundos; isso pode ser bem desesperador quando você depende dele para controlar o voo (e pousar) – tudo foi resolvido quando cheguei em casa e reinstalei o app.

Também foi muito legal ver a Flavia e mais meia dúzia de seres humanos (muito) destemidos surfarem. Nessa água fria, só usando a roupinha de neoprene para sobreviver, mesmo. Pelo que soube, as ondas são estavam das melhores, mas, pelo menos da areia, pareceram suficientes para matar a vontade de surfistas em abstinência.

Em Manhattan Beach, você tem um estacionamento pago para deixar o carro, um salva-vidas de prontidão, redes de vôlei, bastante areia, um mar relativamente calmo (com muitas ondas) e um calçadão para correr, pedalar ou se aventurar em sobre qualquer outro aparato com rodas.

Me pareceu um bom lugar para levar crianças ou simplesmente relaxar em 360 graus de vista linda. Minha atividade preferida? Observar os aviões pousando e decolando ao fundo à direita, já que a praia fica próxima ao aeroporto.

Como eu disse, leve comida porque você não vai encontrar barraquinhas por lá. Leve agasalho se você estiver no inverno (ou finalzinho do outono). E, se estiver sobrando disposição, prepare uma playlist e leve seu fone de ouvido. O cenário combina bem com uma caminhada ao som das suas músicas preferidas.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorMinha experiência no Kenneth Park (Los Angeles)
Próximo artigoSobre minha vontade louca de descobrir minha origem
Nasci em Brasília e fiz faculdade aqui. Sou louca por animais, mas abandonei a veterinária para empreender (e trabalhar em casa de pijamas). A paixão por viagens começou em 2010, quando me enfiei num navio em direção ao Egito. Hoje, trabalho exclusivamente com marketing digital, tenho 2 gatas e já passei por 42 países. Sonho ter uma vespa bege, dar a volta ao mundo e juntar oito dígitos no banco – e minha jornada em busco disso, você acompanha aqui.

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here