melhor bota hiking

Eu não sei muita coisa sobre botas de hiking. Minha especialidade está mais para pesquisas no google… E foi confiando nisso que eu escolhi a Sabrina (sim, ela tem nome!), a maravilhosa bota que vai dar a volta ao mundo comigo em 2018.

Como escolhi minhas botas de hiking

Sabendo que eu precisaria “amaciar” as botas antes de entrar em campo, decidi comprá-las imediatamente, antes mesmo de definir meu roteiro de viagem. Assim, eu poderia começar a usá-las a partir de hoje e me adaptar.

Então, coloquei “melhor bota de hiking” no google e cliquei no link que prometia um ranking de 2017, feito por leitores do site.

Quando a lista abriu, dei atenção apenas às duas primeiras marcas, que eram Salomon e Scarpa. Em seguida, corri para a Amazon. Lá, a Salomon era a mais barata e tinha 4 vezes mais depoimentos positivos que a Scarpa – e isso influenciou o resto das minhas pesquisas.

Busquei alguns outros rankings para comparar, li depoimentos, dei uma olhada nas cores, comparei mais preços… E, no mesmo dia, tomei minha decisão.

Modelo das minhas botas de hiking

O modelo que escolhi foi Salomon Quest 4d Gtx W, nas cores shrew/camel gold e leather/teal blue. Comprei na Amazon.

Aqui estão minhas botas de hiking (são TÃO lindas!):

melhor bota hiking

Como comprei minhas botas de hiking

Sim, eu comprei minhas botas pela internet.

Foi uma saga.

Meu primeiro impulso foi comprar o número exato que estou acostumada a usar nos Estados Unidos, que é o 7.

As botas já estavam no carrinho prontas para o check out quando, de repente, me veio na cabeça que talvez eu precisasse de mais espaço para um meia grossa para o frio (e isso me deixou insegura).

Corri novamente para o google e encontrei uma tabela da própria Salomon ensinando a encontrar seu número certinho. Fiz o que pediram: coloquei a meia, encostei meu pé na parede e medi do calcanhar ao dedão com fita métrica. Olhando na tabela, cheguei ao número 7,5.

Fez todo sentido para mim e foi comprei minhas botas nesse número.

Quando elas chegaram, no entanto, estavam grandes demais. Até tentei dar uma passeada com elas e me esforcei para acreditar que era o número certo, mas, com menos de 10 minutos, a sola do meu pé já estava doendo.

Voltei à Amazon e pedi novas botas número 7.

Alguns dias depois, o segundo par chegou em casa e eu, feliz da vida, corri para experimentar (agora sim, a definitiva!). Que nada. As botas número 7 eram quase do mesmo tamanho das 7,5 e também ficaram grandes demais.

Já achando meu histórico de compras engraçado, comprei botas 6,5.

Quando o terceiro par chegou, comparei novamente com os demais e, de novo, me pareceu folgado. Só que, dessa vez, eu resolvi ficar com ele, por medo de o número menor ficar apertado demais. Devolvi os outros dois.

Achei um pouco estranho, já que eu nunca usei 6,5 nos Estados Unidos, mas entendi que a forma dessas botas de hiking (Salomon) é maior que as dos tênis de marcas como Nike, Adidas e Reebok, com os quais estamos acostumados.

[O mais irônico é que, se eu tivesse lido todos os depoimentos no produto, teria visto a indicação de uma moça de que comprássemos meio número abaixo.]

Minha experiência com minhas botas de hiking Salomon

Até o momento, minhas botas de hiking (número 6,5) têm me acompanhado apenas para programas lights, como ir ao mercado ou ao correio. Ainda não demos início aos trabalhos radicais (continuo morrendo de dó de sujá-las, dá para acreditar?).

Tenho testado diferentes meias e jeitos de amarrar os cadarços, para entender como fica melhor para mim.

Às vezes, sinto que elas estão folgadas demais, pois sinto uma pressão no tornozelo e os dedos e calcanhar folgados (sem encostar nas extremidades da bota), mas isso só acontece com o pé esquerdo. Será que sou assimétrica? 😛

De qualquer forma, vou continuar com elas, pois quero espaço para colocar meias grossas e quentes (já que vou caminhar por lugares frios) e sei que meus pés podem ficar inchados durante as caminhadas e eu realmente acredito que o número 6 via ficar apertado demais.

Sobre conforto, sim, até agora está sendo incrível. Essas são as primeiras botas de hiking da minha vida e eu nunca tinha usado algo tão maravilhoso.

Em breve, devo subir uma montanha por aí. Quando acontecer, volto para contar.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorMeus resultados fazendo o Q48 (antes e depois)
Nasci em Brasília e fiz faculdade aqui. Sou louca por animais, mas abandonei a veterinária para empreender (e trabalhar em casa de pijamas). A paixão por viagens começou em 2010, quando me enfiei num navio em direção ao Egito. Hoje, trabalho exclusivamente com marketing digital, tenho 2 gatas e já passei por 42 países. Sonho ter uma vespa bege, dar a volta ao mundo e juntar oito dígitos no banco – e minha jornada em busco disso, você acompanha aqui.

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here